A ACME Brinquedos nunca foi uma loja de brinquedos. Sua história começou muito antes do dia 15 de maio de 2005, um sábado excepcionalmente belo e ensolarado, quando abriram-se as portas pela primeira vez. De fato, a história desenrola-se até muitos anos atrás, quando qualquer transeunte da famosa Avenida Guapira que estivesse desavisado podia se assustar ao ver um capacete de Darth Vader ou miniaturas de soldados da Guerra Mundial pendurados em uma vitrine de uma loja de autopeças - não, você leu corretamente, uma autopeças. A verdade é que desde aquela época o sonho já tomava forma, apesar de não ter nem mesmo nome. 

Anos se passaram e os soldadinhos foram se multiplicando, o capacete ganhou corpo e também companheiros e aquilo que três eternas crianças - que, se tiver a curiosidade de saber, chamam-se Dilermando, Alcione e Arthur - tinham em mente começou a ganhar forma. De curtos lapsos, ou devaneios, se preferir, vieram planos para uma loja de brinquedos diferente de qualquer outra, com atendimento focado e personalizado para o público colecionador, que até os dias de hoje conta com essas três crianças. Esta loja traria toda a magia do brinquedo para sua venda, seja a magia no sorriso de uma criança ao ser presenteada ou a magia no sorriso de um colecionador ao se presentear.

Antes mesmo de o nome ser escolhido, sabia-se que aquela loja teria que ser surpreendente tanto para crianças quanto para adultos, algo compartilhado pelos antigos desenhos da Warner Brothers, em que se via diversas vezes produtos de uma certa marca "ACME", que na verdade, fabricava de tudo.

        

Mas voltando ao sábado, dia 15, ao som da eterna marcha de abertura de todos os filmes Star Wars, a ACME teve a grande honra de ser aberta pelo senhor João Calandrino, um dos mais distintos moradores do bairro do Jaçanã, bairro que desde o início foi considerado a primeira sede para a ACME, sem sequer cogitar-se outro bairro de São Paulo. O Jaça sempre teve muito em comum com a ACME, sendo um bairro que esbanja charme e cultura, além, é claro, do fato de também sediar uma das maiores cinematográficas da América - Latina, a Maristela.

passaram-se alguns anos desde então e aquele velho sonho foi ganhando corpo próprio, e fãs de toda a cidade, todo o Brasil e todas as galáxias foram se apaixonando por aquela loja. Foi mostrada na Rede Globo e no SBT, além de muitos outros veículos de comunicação que partilharam desse interesse e dessa curiosidade.

Hoje a loja conta com website e mídias sociais que servem como portal para o mundo todo entrar no outro mundo que dentro das vitrines na Rua Padre Ludovico Zanol, que ironicamente, mais parece o Beco Diagonal, onde Harry Potter comprou sua primeira varinha mágica. E a loja ainda participa de vários eventos de ficção-científica e fantasia, além de sediar muitos outros.

Da mesma maneira que o Jaçanã o pode escapar aos olhos de qualquer um que não queira perder sequer um aspecto cultural essencial de São Paulo, a ACME não pode escapar aos olhos de qualquer um que venha ao Jaçanã.